segunda-feira, 22 de agosto de 2011

RITA HAYWORTH : UMA CIGANA EM HOLYWOOD...




MINIBIOGRAFIA

Filha de uma família de dançarinos ciganos espanhóis, Era filha do dançarino flamenco Eduardo Cansino, natural de Castilleja de la Cuesta, e de Volga Hayworth, chefes de uma famosa família de dançarinos ciganos espanhóis. Seu pai queria que ela se tornasse dançarina, enquanto a mãe desejava que ela fosse atriz. Seu avô, Antonio Cansino, era o maior expoente de Dança Clássica Espanhola, sua escola de dança em Madrid era mundialmente famosa, e foi ele quem deu a Rita, sua primeira lição de dança. Assim que ela fez três anos e meio, começou a ter aulas de dança. Ela não gostava, mas não teve coragem de contar para o pai. Durante vários anos ela frequentou diariamente aulas de dança no Carnegie Hall, sob a instrução de seu tio Angel Cansino.Margarita Carmen Cansino subiu ao palco pela primeira vez, aos doze anos, ao lado do pai. Treinada profissionalmente, ainda adolescente apresentou-se várias vezes em cassinos na fronteira dos EUA com o México. Um barman apaixonou-se por ela e inventou o drink "Margarita" em sua homenagem.

Primeiramente, atraindo a atenção de produtores de cinema como parte da "Família Cansino de Dançarinos", Margarita estreou no cinema em 1935 com o nome de Rita Cansino, no filme "O Inferno de Dante", após assinar contrato com a Fox Film Corporation.  Depois de participar de alguns outros filmes, em pequenos papéis, o Estúdio não renovou seu contrato, fazendo com que ela passasse a trabalhar para diversas produtoras, em filmes de baixo orçamento, inclusive alguns faroestes.

Em 1937, ao ser contratada pela Columbia Pictures, adotou o nome de Rita Hayworth. Sua beleza chamou a atenção dos dirigentes do Estúdio, que viram nela a possibilidade de vir a se tornar uma grande estrela. Em 1939, obteve o segundo melhor papel feminino em "Paraíso Infernal", de Howard Hawks.  Dois anos depois, ela viveria seu primeiro sucesso, ao trabalhar ao lado de James Cagney e Olivia De Havilland em "Uma Loura com Açúcar". No mesmo ano, ao contracenar com Tyrone Power em "Sangue e Areia", viu solidificar-se seu caminho para o estrelato. Ao dançar com Fred Astaire em "Bonita Como Nunca" e "Ao Compasso do Amor", e depois com Gene Kelly em "Modelos", Rita firmou-se como uma das maiores dançarinas de Hollywood e a maior estrela romântica dos anos 40.  O clássico "Gilda", de 1946, ao lado de Glenn Ford, a transformou no maior mito da década.

Rita casou-se cinco vezes: seu primeiro casamento foi com o empresário Edward Judson (1937 - 1943); divorciada, casou-se em seguida com Orson Welles (1943 - 1948), com quem teve a filha Rebecca Welles; seu terceiro casamento foi com o príncipe Ali Kahn (1949 - 1953), com quem teve a princesa Yasmin Aga Kahn; em seguida, casou-se com o cantor Dick Haymes (1953 - 1955) e, finalmente, em 1958, casou-se com o produtor James Hill, de quem se divorciou três anos depois.

Seus três últimos casamentos a fizeram interromper sua carreira por diversas vezes.  Seu insucesso no amor era por ela definido como: "A maioria dos homens apaixona-se por Gilda, mas acorda comigo".

. Após atuar em "Aguirre, a Cólera dos Deuses", 1972, ela não mais voltou às telas. Em 1980, foi diagnosticada com "Mal de Alzheimer". No ano seguinte, foi colocada sob a tutela de sua filha Yasmin, com quem permaneceu até sua morte aos 68 anos de idade.





Um comentário:

  1. Cezarina,

    Postamos um recado pra você.
    http://cozinhadosvurdons.blogspot.com/2011/08/um-doce-para-cezarina-devos.html
    com carinho
    ylli

    Cozinha dos Vurdóns

    ResponderExcluir