sábado, 27 de agosto de 2011

UMA PINTORA CIGANA: JUDEA HERÉDIA...

borbo008borbo008borbo044





[guitarra_judea.jpg]
Judea Herédia nasceu  no bairro do Albaizin,em Granada em 1975,numa família cigana.Seu avô materno era escultor e,desde os quatro anos  de idade Judea conviveu com a arte no ateliê  dele,no Sacromonte.Luís Herédia Amaya era um escultor cigano de sucesso e professor de anatomia artística,esculpindo retratos de “payos” e de ciganos, toureiros famosos, cantores,dançarinos e dançarinas de Flamenco.Com  o avô,Judea aprendeu as primeiras noções de desenho ,fazendo retratos em carvão em seus cadernos .Ao ver o avô esculpindo retratos de “payos”ela afirmava resoluta que só iria desenhar ou pintar gitanos...
Judea nasceu surda e encontrou na sua carreira enormes dificuldades. Mas, pelo caráter firme e decidido, herança do seu sangue cigano, a moça conseguiu vencer e ter grande sucesso.
Aos doze anos, Judea entrou na Escola de Artes e Ofícios Artísticos, iniciando seus estudos de desenho e pintura. Dois anos depois, com14 anos ingressou na Faculdade de Belas Artes de Alhambra em Granada para aperfeiçoar sua técnica, e aos dezoito já dominava  de maneira excepcional  o uso da luz e da sombra, mostrando já o seu  talento nas cores vibrantes de seus retratos.A força,a emoção e a clareza de objetivos demonstrados por ela ao longo de sua carreira deixam transparecer  suas raízes ciganas.Tendo nascido com graves problemas auditivos, o que a torna parte de uma das minorias,a os deficientes físicos;ela também pertence a uma das minorias étnicas mais discriminadas do mundo :os ciganos...Junte-se a isso o fato de também ser mulher e, teremos  um atestado de insucesso e dificuldades intransponíveis  para uma pessoa comum!
Entretanto, através de sua coragem e persistência, muita dedicação e amor ao seu trabalho, esta jovem pintora de sangue cigano conseguiu vencer e, após uma carreira de sucesso  com muitas exposições em Universidades e encontros de arte internacionais Judea Herédia é considerada uma das cinqüenta mulheres ciganas mais importantes no mundo.
Através da linguagem universal da Arte a pintora cigana derrubou todas as barreiras culturais e de comunicação, dando a todos os ciganos  e não-ciganos um exemplo  de força de vontade e determinação. A artista plástica superou todos os preconceitos e dificuldades com muita coragem, alegria e entusiasmo  e,segundo sua mãe,Luisa Herédia,a jovem  mostrou  que os ciganos não só cantam e dançam,mas também pintam e, muito bem. Numa entrevista em 2003, ela diz: “A arte não entende de etnias nem de raças.A arte é um idioma universal.A arte é a base para todo entendimento .Não se necessita nem de idiomas,nem de palavras.Todos os povos se entendem através da arte.”
   
borbo092.gif (18934 bytes)borbo092.gif (18934 bytes)borbo092.gif (18934 bytes)
(ALGUNS TRECHOS DA BIOGRAFIA DA PINTORA FORAM EXTRAÍDOS DO SITE "ENCUENTRO CULTURAL GITANO)                                                                                                                                      

quinta-feira, 25 de agosto de 2011

IVA BITTOVÁ ARTISTA CIGANA...ATRIZ,VIOLINISTA,CANTORA E COMPOSITORA...

borbo076
03.jpgborbo029
borbo029
Iva nasceu na República Tcheca em 1958,de origem cigana.Iniciou sua carreira trabalhando no cinema,como atriz em 1970.Fez vários papéis em muitos filmes e,finalmente no início de 1980 começou a cantar e tocar violino.Sua técnica vocal e instrumental se aprimorou de tal forma que ela tornou-se reconhecida internacionalmente.Começou a gravar em 1986 e desde então, fez oito álbuns solo,alcançando o sucesso.Não desistiu da carreira no cinema e em 2003 atuou num filme (Zena) que foi indicado para o Oscar de melhor filme estrangeiro em 2004.Ë uma cantora "avant-garde",criando performances incríveis no palco, 

segunda-feira, 22 de agosto de 2011

RITA HAYWORTH : UMA CIGANA EM HOLYWOOD...




MINIBIOGRAFIA

Filha de uma família de dançarinos ciganos espanhóis, Era filha do dançarino flamenco Eduardo Cansino, natural de Castilleja de la Cuesta, e de Volga Hayworth, chefes de uma famosa família de dançarinos ciganos espanhóis. Seu pai queria que ela se tornasse dançarina, enquanto a mãe desejava que ela fosse atriz. Seu avô, Antonio Cansino, era o maior expoente de Dança Clássica Espanhola, sua escola de dança em Madrid era mundialmente famosa, e foi ele quem deu a Rita, sua primeira lição de dança. Assim que ela fez três anos e meio, começou a ter aulas de dança. Ela não gostava, mas não teve coragem de contar para o pai. Durante vários anos ela frequentou diariamente aulas de dança no Carnegie Hall, sob a instrução de seu tio Angel Cansino.Margarita Carmen Cansino subiu ao palco pela primeira vez, aos doze anos, ao lado do pai. Treinada profissionalmente, ainda adolescente apresentou-se várias vezes em cassinos na fronteira dos EUA com o México. Um barman apaixonou-se por ela e inventou o drink "Margarita" em sua homenagem.

Primeiramente, atraindo a atenção de produtores de cinema como parte da "Família Cansino de Dançarinos", Margarita estreou no cinema em 1935 com o nome de Rita Cansino, no filme "O Inferno de Dante", após assinar contrato com a Fox Film Corporation.  Depois de participar de alguns outros filmes, em pequenos papéis, o Estúdio não renovou seu contrato, fazendo com que ela passasse a trabalhar para diversas produtoras, em filmes de baixo orçamento, inclusive alguns faroestes.

Em 1937, ao ser contratada pela Columbia Pictures, adotou o nome de Rita Hayworth. Sua beleza chamou a atenção dos dirigentes do Estúdio, que viram nela a possibilidade de vir a se tornar uma grande estrela. Em 1939, obteve o segundo melhor papel feminino em "Paraíso Infernal", de Howard Hawks.  Dois anos depois, ela viveria seu primeiro sucesso, ao trabalhar ao lado de James Cagney e Olivia De Havilland em "Uma Loura com Açúcar". No mesmo ano, ao contracenar com Tyrone Power em "Sangue e Areia", viu solidificar-se seu caminho para o estrelato. Ao dançar com Fred Astaire em "Bonita Como Nunca" e "Ao Compasso do Amor", e depois com Gene Kelly em "Modelos", Rita firmou-se como uma das maiores dançarinas de Hollywood e a maior estrela romântica dos anos 40.  O clássico "Gilda", de 1946, ao lado de Glenn Ford, a transformou no maior mito da década.

Rita casou-se cinco vezes: seu primeiro casamento foi com o empresário Edward Judson (1937 - 1943); divorciada, casou-se em seguida com Orson Welles (1943 - 1948), com quem teve a filha Rebecca Welles; seu terceiro casamento foi com o príncipe Ali Kahn (1949 - 1953), com quem teve a princesa Yasmin Aga Kahn; em seguida, casou-se com o cantor Dick Haymes (1953 - 1955) e, finalmente, em 1958, casou-se com o produtor James Hill, de quem se divorciou três anos depois.

Seus três últimos casamentos a fizeram interromper sua carreira por diversas vezes.  Seu insucesso no amor era por ela definido como: "A maioria dos homens apaixona-se por Gilda, mas acorda comigo".

. Após atuar em "Aguirre, a Cólera dos Deuses", 1972, ela não mais voltou às telas. Em 1980, foi diagnosticada com "Mal de Alzheimer". No ano seguinte, foi colocada sob a tutela de sua filha Yasmin, com quem permaneceu até sua morte aos 68 anos de idade.