terça-feira, 20 de dezembro de 2011

SUZANNE VALADON:ARTISTA...UMA MULHER DE ALMA LIVRE...


SUZANNE VALADON-


A PINTORA E SEU FILHO.


SUZANNE SERVIU DE MODELO PARA O PINTOR
NESTA TELA (RENOIR- Dança em Bougival-1883.


 RETRATO DE SUZANNE VALADON- Renoir, Pierre August 1885          

Retrato de Suzanne Valadon
RETRATO DA ARTISTA-Théophile-Alexandre                                                                                              Steinlen (1859-1923)



A ARTISTA NO SEU ATELIER.

A PINTORA JUNTO A UMA OBRA SUA.

SUZANNE E SEU FILHO MAURICE...
Suzanne Valadon
A ARTISTA PINTANDO...

SUZANNE DE CHAPÉU

MOÇA TRANÇANDO OS CABELOS-QUADRO DE RENOIR-
1885-SUZANNE SERVIU DE MODELO.



A ARTISTA NO ESTÚDIO COM SEU CÃO,JÁ NA 
MEIA-IDADE

Suzanne Valadon nasceu em 23 de setembro de 1865 e faleceu em 7 de Abril de 1938. Pintora francêsa nascida Marie-Clémentine Valadon em Bessines-sur-Gartempe , Haute-Vienne, França. Em 1894, tornou-se a primeira mulher a ser admitida na Société Nationale des Beaux-Arts . Ela também é a mãe do pintor Maurice Utrillo,um filho natural,cujo pai ela nunca revelou.

 Filha de uma lavadeira solteira, Suzanne Valadon tornou-se uma acrobata de circo com a idade de quinze anos, mas um ano depois, uma queda de um trapézio  terminou sua carreira.Por ser muito pobre trabalhou como lavadeira para se manter.  Em Montmartre ,bairro de Paris, aprofundou os seus conhecimentos de arte.Primeiro trabalhou como modelo para artistas,para  observar e aprender as suas técnicas, antes de se tornar um pintora verdadeira. Ela posou para Henri de Toulouse-Lautrec (que lhe deu aulas de pintura), Pierre-Auguste Renoir , e Pierre-Cécile Puvis de Chavannes , e é conhecida por ter tido casos amorosos com os dois últimos. Em 1890, ela fez amizade com Edgar Degas , que, impressionado com seus desenhos de linhas fortes e suas pinturas, comprou os seus trabalhos e encorajou seus esforços. Ela permaneceu sendo um dos amigos mais íntimos de Edgar Degas  até a morte dele.

A imagem mais reconhecível de Valadon estaria numa tela de Renoir Dança em Bougival, de 1883 , mesmo ano em que ela posou para a Dança da cidade . Em 1885, Renoir pintou o retrato dela novamente como garota trançando seus cabelos. Outro de seus retratos dela em 1885, Suzanne Valadon , é de sua cabeça e ombros de perfil. Valadon frequentava os bares e tavernas de Paris junto com seus companheiros pintores, e Toulouse-Lautrec a pintou como tema de sua tela A Bebida.
Valadon pintou  naturezas-mortas , retratos , flores e paisagens que são conhecidos por sua forte composição e cores vibrantes. Ela foi, no entanto, mais conhecida por seus cândidos nus femininos. Uma perfeccionista, ela trabalhou em algumas das pinturas a óleo por até 13 anos antes de mostrá-las. Ela também trabalhou em técnica pastel . Sua primeira exposição, realizada em 1890, consistia principalmente de retratos.Sua obra foi extensa,com muitas telas pintadas em seu estilo vibrante e colorido,além de desenhos e quadros em pastel.
Hoje, alguns de seus trabalhos podem ser vistos no Centro Georges Pompidou em Paris, o Museu de Grenoble , e noMetropolitan Museum of Art , em Nova York.

Suzanne Valadon morreu em 07 de abril de 1938 e foi enterrada no cemitério de Saint-Ouen , em Paris. Entre os presentes no funeral dela estavam seus amigos e colegas André Derain , Pablo Picasso e Georges Braque.

ALUMAS OBRAS:


AUTO-RETRATO COM A FAMÍLIA

RETRATO DE UMA MULHER DA SOCIEDADE                                                                               PARISIENSE COM A FILHA.


NATUREZA MORTA COM COMPOTEIRA-1918.


Seus gatos


PAISAGEM COM A TORRE DE SACRE COEUR...

Paisagem com ávore florida




Paisagem com torre


Louison et Raminou, 1920 - Suzanne Valadon
Louison et Raminou - 1920



 A Caixa de violino (La Boite a Violin) 1923 Suzanne Valadon Oil (1867-1938/French) no Museu de Arte Moderna de lona, ​​Paris (1030-1010 / PE7158 © Bridgeman Art Library)
NATUREZA MORTA COM VIOLINO E SUA CAIXA                                                                                  SOBRE A MESA...


ABAIXO, DOIS DE SEUS NÚS:





EXTRAÍDO DE: WIKIPÉDIA
.
Imaens do

Google


terça-feira, 13 de dezembro de 2011

EMILY DICKINSON : Poesia e solidão...


" Pra se fazer uma campina é só um trevo e única abelha.
   Único trevo e uma abelha
   e a Fantasia.
A Fantasia basta 
se a abelha se afasta..."
                                  EMILY DIKINSON



EMILY DICKINSON nasceu em Amherst ,perto de Boston,Massachusettts ,em 10 de dezembro de 1830. Sua vida tranquila foi infundido com uma energia criativa que produziu quase 1800 poemas e uma profusão de letras vibrantes.
Sua animada infância e juventude estavam cheias de escolaridade, leitura, exploração da natureza, atividades religiosas, amizades significativas e vários encontros- chave com  a poesia. Sua mais intensa atividade  poética foi nos anos da década de seus 20 a 30 anos; durante esse tempo ela compôs quase 1.100 poemas. Ela fez algumas tentativas para publicar seu trabalho, optando por compartilhá-los em particular com a família e amigos.Nos anos seguintes Dickinson cada vez mais se retirou da vida pública. Seu jardim, sua família (especialmente a família de seu irmão ) , amigos próximos, e as preocupações com a saúde  lhe ocuparam o tempo.Dizem que teve uma paixão secreta e platônica por um homem casado , mas,ela própria jamais se casou.Continuou ao longo dos anos,cuidando de suas amadas flores,fazendo deliciosas geléias para presentear  seus amigos e parentes e escrevendo poesias em pedaços de papel e livros de receitas...Com poucas exceções, sua poesia permaneceu praticamente inédita até depois que ela morreu em 15 de maio de 1886. Após sua morte, seus poemas e história de vida foram trazidas à atenção do resto do mundo através dos esforços  de familiares e amigos íntimos.                      Em 1955, o crítico e biógrafo Thomas H. Johnson reuniu numa edição definitiva todos os seus 1.775 poemas. Daí em diante a obra de Emily Dickinson passou a ser reverenciada por uma crescente legião de críticos e leitores exigentes. Sua escrita poética, ambígua, irônica, fragmentada, aberta a várias possibilidades de interpretação, antecipa, sob muitos aspectos, os movimentos modernistas que se sucederiam depois de sua morte. Essa instigante poesia, nascida na solidão e no anonimato mas impregnada dos mais profundos valores humanos, dá hoje a Emily Dickinson um merecido e imorredouro lugar no cânon literário universal.

CASA DA POETISA EM AMHERST, MASSACHUSETTS,Estados Unidos da América.




Ela fazia álbuns de flores secas...
Emily Dickinson's Herbarium, digital facsimile. By permission of the Houghton Library, Harvard University; A facsimile edition of Emily Dickinson's Herbarium is available from Harvard University; MS Am 1118.11

Amava as flores e os passarinhos...





RECRIAÇÃO DO JARDIM DA POETISA DO SÉCULO XIX


Emily adorava fazer deliciosas geléias e presentear seus amigos...





Geléia de maçãs e morangos
1 kg de morangos frescos limpos,500 gr de maçãs passadas no processador deve ficar em pedaços pequenos,leve ao fogo rapidamente, 1200 kg de açúcar,10 colheres (sopa) de suco de limão espremido na hora.Passe os morangos e maçãs no processador e coloque-os numa panela de fundo grosso.Adicione o açúcar e o suco de limão. Leve ao panela ao fogo baixo até que o açúcar se dissolva. Aumente o fogo, deixe cozinhando, mexa frequentemente, até que a geléia ferva e tenha consistência.Transfira a geléia para potes esterelizados, deixando um espaço entre a tampa de 1 centímetro. Tampe os potes. Mantenha na geladeira.


Extraído de:Wikipédia,e outros sites biográficos.
Imagens do Google.

sábado, 12 de novembro de 2011

GUIOMAR NOVAES, A MAIOR PIANISTA BRASILEIRA...


A PIANISTA E UMA DE SUAS FILHAS...

QUANDO AINDA MOCINHA...



Anna de Carvalho Menezes Novaes, sua mãe, foi a principal figura na formação da personalidade musical de Guiomar Novaes.
Anna era pianista e compositora, uma figura religiosa e culta que acompanhou, incentivou e abençoou a carreira da filha
enquanto pôde.


GUIOMAR E SEU MARIDO VIVERAM UM INTENSO E APAIXONADO AMOR DESDE A IDADE DE TREZE ANOS,ELA E,DEZESSETE ,ELE... SE CONHECERAM QUANDO AMBOS ESTUDAVAM MÚSICA NO CONSERVATÓRIO.A MORTE DO ADORADO ESPOSO DEIXOU-A 
TRISTE E SAUDOSA PARA O RESTO DA SUA VIDA...(ELE FALECEU 15 ANOS ANTES DELA.)
TIVERAM DUAS FILHAS.

FOTO DO AUGE DE SUA CARREIRA...


Guiomar Novaes
(Pianista brasileira)

28-2-1894, São João da Boa Vista (SP) 
7-3-1979, São Paulo (SP)




Como explicar o talento musical de uma pianista que começou a tocar aos 8 anos já com absoluto domínio da técnica, com poesia e precisão? Guiomar Novaes, a maior pianista brasileira e uma das maiores celebridades nos meios musicais da Europa e dos Estados Unidos no início do século XX, transfigurava-se de tal modo ao piano, tocando de forma arrebatadora, como se estivesse improvisando, que diziam parecer estar em transe ou ser a encarnação de um grande artista. Para alguns, sua genialidade era um mistério psicológico, um milagre musical. "Toca como se algum espírito estivesse soprando em seu ouvido os segredos mais profundos de toda a harmonia", escreveu um crítico do Times, dos Estados Unidos. Nascida no interior de São Paulo, Guiomar cresceu em meio a uma família de 19 crianças e num ambiente religioso. Menina, impulsionada pelo som do piano tocado pelas irmãs mais velhas, esperava que elas deixassem o teclado para sentar-se ao banquinho e tocar até "os dedos doerem". Antes de aprender a ler e a escrever, dominou as notas. Seu primeiro professor foi o paulista Eugênio Nogueira e, mais tarde, o italiano Luigi Chiaffarelli, com quem realizou suas primeiras apresentações, os saraus musicais, em São Paulo e, depois, no Rio de Janeiro. Em 1909, aos 15 anos, partiu para a Europa para tentar uma vaga no Conservatório de Música de Paris. Avaliada por um júri formado por célebres músicos, como Claude Debussy, Moszckowski, Widor e Lazare-Lévy, foi apontada como a candidata com os melhores dotes artísticos e obteve a vaga. No conservatório, estudou com o húngaro Isidore Phillip e conquistou o primeiro prêmio ao concluir as provas finais, em 1911, com a execução da Balada, de Chopin. Poucos meses depois de graduar-se, projetou-se no mundo musical europeu. De Paris, realizou concertos em Londres, Itália, Suíça e Alemanha. Com o advento da Primeira Guerra Mundial, mudou-se para os Estados Unidos, onde, a partir de 1915, ascendeu profissionalmente numa trajetória rara. Desde o começo uma revelação, permaneceu 62 anos brilhando nos palcos. Foi especialmente genial ao interpretar Schumann e Chopin. Além de ter sido grande divulgadora da obra de Heitor Villa-Lobos no exterior.





JÁ NO FINAL DA VIDA...

GUIOMAR NOVAES FOI  CONSIDERADA A MAIOR                                                                 PIANISTA DO INÍCIO DO SÉCULO XX




GUIOMAR COMPÔS ESTA VALSA AOS 9 ANOS...








sexta-feira, 4 de novembro de 2011

JUANA MARTÍN MANZANO:MULHER CIGANA E FAMOSA DESENHISTA DE MODA ...







"Nunca se me ha pasado
por la cabeza que para ser
famosa tuviese que dejar de
ser gitana..."




La diseñadora Juana Martín tras recibir la Fiambrera de Plata del Ateneo de Córdoba.
Foto do dia em que recebeu um dos muitos prêmios em sua carreira...


Juana Martín

"En cada traje hay que volcarse. Me gusta, dentro de la elegancia y la sencillez, la moda muy femenina. Cada mujer tiene un mundo,un carácter, una forma  de expresarse y de vestir; así que, para no disfrazarla, hay que estudiarla previamente. En el primer contacto
siempre charlamos un par de horas."(Juana Martín, a respeito do que faz...)



Juana nasceu em 1974,em Córdova numa família cigana.E,desde os 5 anos costura e desenha. 
Seu atelier ocupa o segundo andar da casa da família.No primeiro piso sua loja de modas se reparte entre a venda de trajes típicos do flamenco,alta costura , vestidos de noiva e prêt-à-porter.



Las ministras de Sanidad y Cultura, la diputada Carmen Calvo y la diseñadora Juana Martín. | Madero Cubero
Las ministras de Sanidad y Cultura, la diputada Carmen Calvo y la diseñadora Juana Martín. | Madero Cubero
CÓRDOBA | Galardones en ocho categorías diferentes

González-Sinde entrega los premios a la cultura gitana

La ministra de Cultura, Ángeles González Sinde, ha participado este jueves en la entrega de estos galardones que han coincidido con la celebración en Córdoba de la II Cumbre Europea sobre la Población Gitana.

Em seu atelier, limoeiros, gerânios, palmeiras,jardins e fontes se entrelaçam com a luz inconfundível  da Andaluzia, a tranquilidade,o ruído da água e o som de alguma voz distante de alguém da família. Este é o lugar onde a designer trabalha, sempre ao ritmo do flamenco. Apesar de afirmar que toda a moda está inventada, seus funcionários asseguram que esta jovem segue a  inspiração do momento.Segundo ela devido às suas origens  gitana e cordovesa, o ambiente, a luz e a vida que observa quando chega à janela  tem  uma grande influência nas suas criações.



" Para mí ser gitana es todo. El respeto, un saber estar, la familia, el cariño, el apoyo de unos a otros, el vivir día a día. He sido criada en un ambiente tradicional al máximo y me gusta. Si empiezas a no darle importancia a los valores, nuestra raza se perdería. Intento hacer ver esa parte positiva que
hay en el hecho de ser gitana. He luchado por mi trabajo y por demonstrar que nunca he dejado de serlo. "

Juana Martín foi tambiém uma das protagonistas do livro  50
Mujeres Gitanas en la Sociedad Española (2003) coeditado pela
Fundação Secretariado Gitano e o Instituto da Mulher.Ela  dedica parte de seu tempo ao ensino de costura e desenho de moda para vinte meninas ciganas.Também é membro atuante ( exerce a função de tesoureira ) da Asociación Gitana Panyabi .

Juana, antes de ser desenhista de moda é cigana. Se tivesse que renunciar a sua cultura para ter um nome no mundo da moda, se negaría,segundo suas palavras. Adora seu povo,sua família e a música.